Quem é afinal Sena da Silva?


Se estiveram atentos ao artigo anterior, há uma frase à qual se faz referência “Troféu Sena da Silva”. Não sei, se algum de voçês já ouviram falar de este senhor? António Martins Sena da Silva, Sena da Silva, nasceu em 24 de Janeiro de 1926. Faleceu no dia 26 de Setembro de 2001. Desde os dezasseis anos exerceu numerosas actividades remuneradas: correspondência comercial em línguas estrangeiras, traduções de romances policiais, publicidade (cartazes, textos e grande diversidade de anúncios), design gráfico (embalagens, logotipos, marcas, modelos, etc.), ilustrações para livros e revistas, cenários e figurinos para teatro e cinema, poesia, decorações, carroçarias e visuais para autocarros, pinturas murais, fotografia, pavilhões para exposições e feiras, design de mobiliário, arquitectura e trabalhos de arquitectura, administração empresarial, artigos e ensaios para revistas e jornais e docência como professor de tecnologia de pintura decorativa e desenho de mobiliário, arquitectura de interiores, técnicas de comunicação visual, geometria e design, sucessivamente na Escola António Arroio, na Sociedade Nacional de Belas Artes, na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e no Curso Superior de Arquitectura da Àrvore no Porto.
Ganhou primeiros prémios em todos os concursos a que concorreu (cartazes, embalagens, pavilhões para feiras, pintura). São poucos os artistas portugueses ditos artistas plásticos que tenham escrito textos sobre as próprias experiências pessoais e, sobretudo, tenham emitido
conceitos ou simples opiniões ou ensaiado possíveis caminhos novos.
António Sena da Silva é, um caso quase único pois levou a vida inteira a provar como se faz e a teorizar porque se deve fazer. Ficamos-lhe a dever o exemplo de uma generosidade sem par, uma dedicação sem limites, um empenho profissional dificilmente igualável!
Mas porquê falar de Sena da Silva! porque continuo a achar que não se é dado o seu devido destaque no mundo do Design Português, foi e será sempre uma referência no pioneirismo do design em Portugal, e desde já peço! se eu estiver errado, agradeço que me corrijam, até lá, esta é a minha opinião…

É de facto curioso a forma como tive conhecimento pela primeira vez sobre Sena da Silva. Tal facto ocorreu, numa das das minhas intervenções como paginador editoral, e que, ao publicar o referido artigo sobre ele, desde que o li, fiquei indignado e inconformado! Custa-me a acreditar na cruel realidade!… de como é possível não existir publicações que falem e promovam o seu trabalho, eu pessoalmente só tenho conhecimento de uma publicação, da autoria do meu Estimado Prof.º Eduardo Calvet de Magalhães, uma obra magníficamente ilustrada e com muita informação sobre as mais variadas vertentes artísticas de Sena da Silva. Já procurei em librarias importantes, Bertrand e Fnac, e nehuma tinha conhecimento de tal autor, em ambas as situações tiveram de recorrer à base de dados, para confirmar se existia alguma obra, e a resposta foi sempre não! Querem saber outro dado curioso! Procurem a palavra “Sena da Silva”, e nada! Nem uma referência bibliográfica, nem fotos, nem trabalhos! Mas afinal o que se passa, será que isto, é o reflexo, da mania do nosso complexo de inferioridade, de que, o que é feito lá fora é que é bom e interessante! Bolas… acho que já vai sendo hora, de mudar as mentalidades! Eu pessoalmente tenciono descobrir mais sobre este designer! E perceber porque se dá tanto destaque a uns e menos a outros!… E para concluir, considero Sena da Silva um designer multidisplinar da era moderna, que para a época em que viveu não apenas um mérito é um exemplo a seguir…

Anúncios

About this entry